.
.

quarta-feira, 3 de setembro de 2008

.




recomecei!
recomecei no mesmo lugar, porque perdi o medo.
voei no precipício de mim. olhei-me do alto da existência sem decorar o futuro, sem focar o passado. a distância fez-me apreciar o presente. querer senti-lo de perto para não o lamentar no futuro, como acontece com passados.
recomecei... com a força de um abraço. o impulso de um beijo. a inquietude do sangue fervente. quero serenamente beber da tua boca. matar a sede no brilho dos teus olhos. quero sentir o teu corpo deitado sobre o meu. sentir o deslizar da tua pele como água de rio na calmaria de uma corrente sem horas, onde tu és maré ondulante ao ritmo desta nova brisa.
e quero tê-lo presente a toda a hora.
.

10 comentários:

Anónimo disse...

Muito bem! Muito bem!
Dr.X

Maria disse...

Recomeçaste de uma forma soberba!!!!
(sem mais palavras...)

Beijo, Tufa

Apenas eu disse...

e tudo aqui foi dito estou feliz por teres voltado...

beijinho

maria josé quintela disse...

recomeçaste sim, mas muito mais à frente!



beijo.

tulipa disse...

Foi um bonito recomeçar...
um abraço
tulipa

Pedro Branco disse...

Esta força do meu abraço rente ao coração. Onde todas as memórias desaguam no sei leito presente. Porque vivo de tudo o que fui. Umas vezes com força, outras não. Gosto de regressos assim. Abraçados.

AnaMar disse...

Recomeçar é a palavra. E o acto a coragem de permanecer.

~pi disse...

so r rio

( cor rente

sem

ho ra s

( pá s s aro



~

Marta disse...

Sem te importares com o que a brisa possa dizer ou com os ciúmes da Lua...
Gostei do teu texto - é poderoso, cheio de energia positiva..
Obrigada pela visita
Beijos e abraços
Marta

Nilson Barcelli disse...

Belíssimo texto.
Gosto de te ler, sempre.

Beijinhos.