.
.

segunda-feira, 23 de junho de 2008

.




a tua ausência sinto-a... cá dentro,

no que de mim restou.

tudo recolho... no que deixas

... pois se o meu mundo é pequeno!


a toda a hora te encontro, amor, numa procura imensa.

em cada gesto doce,

em cada frase intensa,

até em cada zanga.

suspiro todos os abraços

sem recordar o último.

longe de mim sabê-lo assim... seria o mais profundo.



da tua ausência ficam-me as palavras,

sem a tua voz.

fica-me o teu cheiro,
.
sem o teu corpo.
.
o teu olhar,

sem os teus olhos.

o teu abraço,

sem o teu toque.


ficou-me uma ausência...



.

8 comentários:

lottery online disse...

that's really cute..wish i had one too.

Anónimo disse...

e elas as ausências,
rebentam-nos por dentro...
Nunca conseguirei comentar palavras sempre tão puras.
Ficar-me-ei pelo ler
e tomar como meus
os teus sonhos
os teus sofrimentos

Vou andar por aí
nunca alheado de ti.

CarlosSul

nana disse...

para além dela

só este não saber de mim





..







(abraço forte...

porque sei
e sinto.)

della-porther disse...

Tufa

voltei após um longo e tenebroso tempo...agora vivo a bonança dos dias de inverno.

vim matar as saudades

beijos carinhosos

continuo a adorar teus poemas

della

К ά h ツ disse...

Bonito e profundo!
Expressa exatamente o que estou sentindo.
Beijos
Te convido a conhecer "O Psilógico"
Tchau;

Juani lopes disse...

realmente muy bonito y sincero
saluditos

Iveta disse...

uma ausencia sentida e sofrida, mas muito bem desenhada nas tuas palavras.
um beijo

Maria disse...

Hoje, neste poema, não falo.

Deixo-te um abraço apertado, Tufa