.
.

sábado, 6 de outubro de 2007


não houve palavras para aquele adeus
doces ou amargas
singelas ou cruas
houve adeus
e nunca o entendi
silêncio e ausência
corte e morte
houve adeus
e nunca o senti

"o adeus é para quem parte"
quem se vai
para sempre

porque voltaste?
apenas porque não disseste adeus?
nem um até sempre!
nada e tudo
sem uma palavra, um gesto
suspende-se uma vida
no arame
sem rede
com o tempo, as pernas bambeiam mais
não há equilíbrio
oscila-se

tenho que dizer-te adeus
tenho que partir
desta vez, para não voltar




4 comentários:

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

A-Deus é mesmo sem palavras, TUFA TAU.
É a viagem sem retorno.
Ânimo.

un dress disse...

...deixo-te.

o odor da pele inscrito na pele

que se apagará

na próxima geada.



beijO

Pedro Branco disse...

Em cada adeus há um novo chegar, certo?

É esta a esperança.

APC disse...

"Não houve palavras para aquele adeus
Doces ou amargas
Singelas ou cruas
Houve adeus
E nunca o entendi
Silêncio e ausência
Corte e morte
Houve adeus
E nunca o senti
"

Este é O Poema, Tufa!
Gostei tanto, que o levo para o reler.

Um abraço.