.
.

sábado, 24 de março de 2007

a sereia convenceu-se que era bela
ela sabia-o
sentia-o

a sua beleza atraiu
ela acreditou-o
sem o tomar para si

inadvertida dos truques
confiou
e viu beleza igual à sua

enganou-se a sereia...
a sua beleza não se via...
a dele só ela via...

1 comentário:

maria josé quintela disse...

os olhos têm razões que a razão desconhece.

um beijo