.
.

terça-feira, 8 de julho de 2008

.

algumas fazem-nos morrer uma morte lenta. cortam-nos os cinco sentidos sem anestesia. penetram a pele a sangue frio. entram-nos pelos olhos, gritam nos ouvidos. sem que o carrasco se comova ou abandone a cena do crime. palavras de raiva, de fome, de sede. palavras que não magoam os lábios que as vomitam. na derrota... respostas em vingança. sem palavras. para não ter que haver mais punição...





8 comentários:

mundo azul disse...

Muito expressivo o seu texto!!!
Palavras...Há de se ter imenso cuidado com elas!
Beijos de luz...

Marta disse...

Autênticos punhais que nos dilaceram....
A vingança nada resolve...Será o silêncio uma espécie de vingança???
Obrigada pela visita - já sabes, que a porta está sempre aberta para os amigos..
Beijos e abraços
Marta

Maria disse...

Adivinho-te em fúria de maré cheia. É do vento, que agita as ondas. Amanhã o dia estará calmo.
As palavras são apenas palavras. O que nos mata devagarinho é o desamor...

Um beijo, Tufa

~pi disse...

casca rasg /// ada

fac >>> a

a - - - fiada





~

Nilson Barcelli disse...

Zangada...?
A vingança é a defesa dos fracos.

Bfs, beijinhos.

rosasiventos disse...

fogo

PARTO pergaminho


manhã fresca luz de ti sangue

meu nu fruto

TERRA

Multiolhares disse...

E como dizes tudo sem anestesia,
não é facil
beijos

Juani lopes disse...

que pases una feliz semana
saluditos