.
.

terça-feira, 22 de janeiro de 2008




voltarei a partir
não quero ficar

regresso a um lugar que fica longe de mim
por isso parto

fico-me a uma distância medida a rigor
sem ver os limites

não quero correr o risco de voltar atrás
ou rodar
andar às curvas

os equívocos estão em linha recta
é dela que tenho que fugir

caminharei a olhar o chão
para não me desviar da surpresa e do embate


.

6 comentários:

Maria disse...

não adianta ficares longe de ti...
... mas gosto da decisão de não te desviares da surpresa e do embate...

bj

Pedro Branco disse...

Caminhar a olhar o chão? Hum... Não creio. Rasgas-te os horizontes e os sonhos. E as surpresas e embates virão na mesma. Com outra intensidade...
Olha em frente. Assumidamente! Perto de ti.

un dress disse...

crescer é aprender a desviar-se do que nos magoa.

não sei se podemos fazê-lo sempre mas vale a pena tentar.:)




.beijO G

DONA PRUDÊNCIA DA CIRCUNSPECÇÃO CAUTELA disse...

DE QQ MODO COMVEM SEMPRE VER ONDE SE PÕE OS PÉS... E O CORAÇÃO, PARA EVITAR QUEDAS E OUTROS TRAUMATISMOS...

BEIJINHO CAUTELOSO ;)

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Com os pés no chão e com a cabeça erguida, assim te vejo no(s) teu(s) caminhos.

AURORA ( LOLA ) disse...

não quero correr o risco de voltar atrás
ou rodar
andar às curvas

os equívocos estão em linha recta
é dela que tenho que fugir

caminharei a olhar o chão
para não me desviar da surpresa e do embate





LINDO......bjs