.
.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2007


tanta estrada para andar

e nós com tanta vontade de o fazer

sem que se veja depois da curva

tão longe e tão aqui ao lado

repara no passo decidido

na postura alegre

na ternura do braço dado

repara nas diferenças!

tão parecidos que somos

que vaidosa eu de ti

que feliz tu de mim


7 comentários:

ViSim disse...

Que ternura! Lindo!
E a riqueza de tudo isto reside no facto do "ser diferente e não vislumbramos para além da curva".
É isso o chocolate da existência.
Beijo Tufa

un dress disse...

as diferenças são...lindaS!! :)


bOm tempO pra ti...




beijO

maria josé quintela disse...

que bom não se ver nada depois da curva!

e que par tão catita!

Pérola disse...

"que vaidosa eu de ti

que feliz tu de mim"

Que lindas palavras...

ASPÁSIA disse...

UMA DAS MAIS BELAS IMAGENS DO SÉC.XX!...

ESPERO QUE UM DIA SEJAS TU A PROTAGONISTA DE UMA CENA SEMELHANTE!

FORÇA PARA DESCOBRIR O QUE ESTÁ PARA LÁ DA CURVA, ALÉM DE UM BEIJINHO MEU...

Luís Galego disse...

um post chamado ternura...

Pedro Branco disse...

"Que vaidosa eu de ti; que feliz tu de mim..."

Está tudo nestes versos. A cor da ternura.

Beijo