.
.

sexta-feira, 9 de novembro de 2007


desfazem-se equívocos
para que voltem de novo
uma luta desenfreada de palavras
sem gestos
sem entoação
sem que se entenda bem o sentimento
um bater monocórdico em disparos
de um lado lanças
do outro escudo
inversão de papéis
de um lado escudo
do outro lanças
uma luta desenfreada contra o tempo
contado ao minuto
desaproveitado
apertando todos os segundos
esmifrado
desfazem-se os equívocos
que hão-de voltar
serão os mesmos
hoje, amanhã e sempre
no disparo de metralhas
no arremesso de armas brancas
na entrega final de uma flor
e na troca de um abraço eterno


4 comentários:

pn disse...

e um plurívoco, que é um rico equívoco?

maria josé quintela disse...

não há sossego, nem sequer vontade de o ter. foi fernando pessoa que o disse!

Fuser disse...

Tufa

O meu diário de canções retorna nesse Doce Novembro.

beijos

Fuser

Aspásia disse...

DEPOIS DA TEMPESTADE VEM A BONANÇA!...

BOM DOMINGO
BEIJOKAS