.
.

sexta-feira, 19 de outubro de 2007


perguntas-me porque choramos. porque nos amamos loucamente assim. não te quero perder por nada deste mundo. por tudo deste mundo. não te quero perder. não te posso perder. as nossas lágrimas são de outra fonte. levam a outro rio, a outro mar. o nosso mar. porque choramos? e o rio está ainda a formar-se. chegará ao mar? ao nosso mar? o rio está ainda a formar-se... vamos ficar fortes, meu amor... vamos? assim? eternamente. sou forte e estou forte, por nós. "This one's from the heart". repito-te a letra. vamos, sim. será o nosso eternamente. será o tempo que tivermos. o tempo que quiseremos. será o nosso tempo.




6 comentários:

pn disse...

mas... a perdição!

mar e morte ou o infinito da fusão?

o eterno tempo do instante?




(sim, a própria)

MIMO-TE disse...

Lindo, mas continuo a pensar que o tempo não é igual para todos, tenho tanta mágoa quando sinto o tempo passar sem ter sido vivido em total plenitude.

Cade segundo pode ser tanto tempo, porquê perder esse tempo.

Sabes é por não ser poetiza que penso assim :)

Muitos mimos dom domingo

particula-RG disse...

SEJA! :)

maria josé quintela disse...

todo o tempo. agora.

Luís Galego disse...

passa-se algo nessa alma e forte....hummmm

Aspásia disse...

ONE FROM THE HEART

UM FILME QUE ADOREI, NOMEADAMENTE A MÚSICA!!! EMBORA TENHA SIDO O FILME Q LEVOU COPPOLA À FALÊNCIA...
ESTA CENA É Q NAO É LÁ MUITO ALEGRE... :(

BEIJOS (E)TERNAMENTE...