.
.

quarta-feira, 18 de abril de 2007


não foi realmente possível alterar o final da história.
seria o dito destino já traçado? ... e a carta já estava escrita e com um final.
tinha tito que, sendo aquele o final seguiria na 5ª, não seguirá.
tinha também dito que não a alteraria, fi-lo. não em nada muito importante, em nada essencial, mas a verdade é que não resisti a retirar uma passagem, a acrescentar outra. só fará diferença para mim... então porque o fiz? obsessiva...
e se a carta não seguirá 5ª feira!
nunca tive em mãos uma carta durante tanto tempo. nunca reli tantas vezes algo que escrevi. comecei-a mais que uma vez, rasguei, recomeçei...
intercalei temas, vai perde-se o sentido...
mas que há a ganhar? tudo está perdido...
tudo, menos o final da carta!
o final da carta felizmente manteve-se...
orgulho-me, apesar das muitas lágrimas ergo a cabeça e fito-te
não de olhos nos olhos porque não estamos frente a frente
vais ver-me quando me leres
vou olhar-te nos olhos com as minhas palavras
eu vou erguer a minha cabeça mais que a tua
e a carta segue hoje, não amanhã....

8 comentários:

Noz Moscada disse...

não tem mal nenhum ler e reler, e reescrever, pois quando o fazemos, reconstruimos e limamos as arestas dá tempo para se ser assertivo....
beijos

madrigal disse...

Tempo para se ser assertivo, modificativo, reconstrutivo e, quantas vezes, «evitativo» de cometer algo mal pensado, indevidamente estruturado, não condizente com aquilo que manda o nosso coração e mais tarde irreparável, por tardio...as oportunidades quando não são agarradas pelos «cornos» muitas das vezes não voltam mais...
(fala uma voz avisada pela experiência)
Um beijinho, Tufa tau

Jorge

madrigal.blogs.sapo.pt

João disse...

A eterna dúvida do que podia ter sido,acaba por magoar muito mais do que a certeza, mesmo que dura e crua.
Força e...boa sorte!
Mereça esse alguém metade da escrita que lhe dedicas - e que é soberba - e será, sem dúvida, merecedor do teu amor. Sentidos parabéns!

pn disse...

emergências epistolares?

pn disse...

incertas emergências epistolares?

tufa tau disse...

as emergências são mesmo certas, apesar de todas as incertezas que as envolvem

tufa tau disse...

obrigada joão... vou pagar para ver.
tenho que confessar que já paguei (caro) e ... deixo por contar, ou deixo para contar...

Aspásia disse...

TUFA

MANDAR UMA CARTA NOS HIPERTECNOLÓGICOS DIAS DE HOJE, JÁ SÓ POR SI É ULTRA-ROMÂNTICO!

ESPERO Q TENHAS A RESPOSTA DESEJADA!

BJINHOS
:)