.
.

sexta-feira, 6 de abril de 2007



ela atraiu-o... como outras, uma conquista a somar às demais.
sentiu-se inseguro... declarou-se inseguro.
era prática sua mostrar-se encantado para encantar, mas esta mulher despertou-lhe outro interesse. algo que não sabia explicar. parecera-lhe bonita sem que essa fosse a única razão... declarou-se atraído.
ela deixou-se atrair... não percebeu a trama, apenas o seu jogo de sedução.
fez jogo limpo e tomou-a como um prémio de que se achava merecedor. o prémio que mais lhe importava receber.

- hoje fi-lo por si a pensar em si. mereço-o.
ela era o seu prémio, não de consolação...
- tenho a sua recordação, hoje, amanhã e sempre.

o equívoco foi seu e a única perda, dela.
tudo havia para corrigir mas o golpe final estava ainda por dar.
mestria, sangue frio, calculismo...
estava certo de ter agido com clareza.
estava certo de sair ileso, impune como sempre. a profundidade das cicatrizes era assunto que não o abalava, pois se não a tinha magoado...

o seu poder de sedução deixou de ser necessário... revelou-se. o prémio passaria a ser de consolação, algo sem interesse, sem jogo, sem sedução...
aquele que fora para ele o melhor prémio até então.... o que serviu de referência a falsas promessas... esse, tornou-o na falsa recordação que lhe deixou de oferenda.

afinal não era seu género vacilar, ter dúvidas, qualquer rebate de consciência. não era delicado nas palavras... nem era conhecido por ser delicado, soava-lhe a hipocrisia. a mesma hipocrisia que lhe permitiu avançar, sem medir forças, sem pensar nas consequências, sem refrear encantos... sem reparar brechas, sulcadas a frio.
a mesma hipocrisia de sempre...



(em "ligações com um certo grau de risco, talvez até perigosas")


qualquer semelhança com alguma realidade é pura especulação.


2 comentários:

madrigal disse...

Gosto da tua forma de escrever. Revelas sensibilidade poética e não a trivialidade insincera, que existe em muitas pessoas, apenas ávidas para captar leitores para satisfação do seu ego.

És tu mesma e escreves como sentes...continua.

Um beijinho para ti.

Madrigal

madrigal.blogs.sapo.pt

tufa tau disse...

com os seus comentários começo sempre bem a manhã, agradeço.

é bom saber que há quem me incentive a continuar... é algo que gosto muito de fazer.

Outro beijinho