.
.

terça-feira, 27 de março de 2007



não era fácil, não sabia como lidar o assunto. adiou a notícia para os poupar a mais um desgosto caso as coisas não corressem bem. via-se agora com um novo dilema, já tinha passado muito tempo, como iriam compreender, o que iriam pensar.
dias antes numa viagem de carro, o mais novo comentou que a mãe agora já não poderia ter fihos, já não tinha pai... não era o momento, mas tinha sido uma boa altura.
passou mais um tempo, poucos estavam ao corrente, não havia o risco de descuidos de linguagem, a sua imagem estava débil e nada denunciava.
fez o exame ao líquido amniótico, seria uma menina...
os seus nervos não a tinha traído e estava chegada a hora. o dia da mãe, primeiro domingo de maio, que boa prenda. fê-lo em verso, um pouco em rima de brincar que ainda guarda na carteira. era também uma adivinha para os dois!
olharam um para o outro em silêncio, surpresos, com ar de não terem qualquer suspeita, era tão óbvio... e nada. eles não conseguiam imaginar que estavam a imaginar bem, escondiam aquilo que não era possível ser verdade. olhavam um para o outro, depois para a mãe, voltavam a olhar-se...
então? repetia o verso, como que a ajudar, a puxar a resposta... não vinha.
um nome temos que dar? olhos nos olhos, os seus rasos de água. já não sabe quem os arregalou em primeiro lugar e fez a pergunta mais incrédula do mundo...
sim
agora? não!
sim
nem sabiam que fazer, os olhos estavam felizes, os sorrisos também, o corpo nervoso, um pouco hirto, o abraço partiu da mãe...
as perguntas não foram as normais, a preocupação não era dizer que queriam um irmão para jogar à bola, saber para quando era, ver a barriga.
a preocupação era ver a barriga aparentemente vazia, o que dizer aos amigos, o que pensar, para eles já passou tanto tempo...
arrependeu-se de protelar... arrependeu-se por um tempo apenas...
com eles aprendeu que o pai era uma flor azul, porque era especial... e as flores azuis são especiais...


2 comentários:

anónimo disse...

olá, passei por aqui, e deixo-te um beijinho.
sou quem sabes

tufa tau disse...

olá, obrigada por vires.
volta sempre
beijo