.
.

quarta-feira, 16 de julho de 2008

.






da minha janela vê-se a tua

mimosas flores lhe encobrem a entrada

singelas se isoladas, frondosas todas elas

a tua janela mantem-se fechada

como os teus olhos.

tanto sossego.

tanto sonho.

não há uma porta para essa janela.

as cortinas, opacas, escondem-te lá dentro.

abre a tua janela!

não grito.

aparecerás quando entenderes,

se entenderes.

com ou sem flores.



. comentado noutro blog

6 comentários:

Marta disse...

Há janelas sempre fechadas...
Para a vida, para os outros...
Tenta-se que essa janela se abre, mas às vezes, insiste em ficar fechada...
Que a tua fique sempre aberta....
Até já
Beijos e abraços
Marta

Maria disse...

Apetece-me "brincar" um bocadinho...
A outra janela está fechada porque a tua está aberta, e pode haver corrente de ar...
(eu disse que ia brincar...)
Não há janelas fechadas, Tufa. Apenas encostadas. Nós é que as abrimos, se soubermos, se pudermos.
Mantém a tua aberta, para poderes respirar...

Um beijo, Tufa

Pedro Branco disse...

Não voltarei ao horizonte. A escuridão consumiu-me cada gesto.

Multiolhares disse...

Quando abrimos as janelas
O sol entra e a vida pode florescer
beijos

~pi disse...

invisível voltarei:

porque não posso

mais ~




.abraÇo

rosasiventos disse...

ariana não vai à praia...