.
.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008


gosto daquela dança em que os nossos corpos se unem pela cintura. em que os meus braços passam por baixo dos teus braços. e as minhas mãos agarram os teus ombros nus. gosto daquela música em que os acordes soam ao ritmo da nossa troca de olhares. em que as vozes se confundem com as nossas. quando a noite vai longa e nos promete não passar. sabemos que nos mente e acreditamos. gosto. gosto de te ver olhar-me. de te olhar e te ver. gosto. olhos fitando os lábios que desejam mais que ser olhados. e partem para outra dança ao som da mesma música. descontrolam no ritmo para o apanharem de novo. gosto. fora do ritmo mas dentro do tom. até na escuridão da lua que não veio nos conseguimos ver. e como gosto de te ter...

5 comentários:

O Profeta disse...

Este vento que sopra nos brandais
Leva de arrasto a minha alma
A proa estende-se adiante na vaga
Olhar de garça o meu coração acalma

Ai quem me dera voar no canal
Ai quem me dera ser a tua espera
Ai quem me dera que o amor
Ai! morasse naquela terra


Bom fim de semana

Guigui disse...

A dança do amor...

abraço

Marta disse...

Dançamos, vivemos, sentimos....
Sempre esses momentos em que estamos completamente sós...
Obrigada pelas visitas...
Beijos e abraços
Marta

Aspásia disse...

OS GOSTOS NÃO SE DISCUTEM,
DIZ UM REFRÃO POPULAR...
E, SE SÃO GOSTOS DE AMAR,
DITADOS P´LO CORAÇÃO,
ENTÃO MUI GRANDE RAZÃO
TENS TU, NESSE TEU GOSTAR!


BEIJOKA GOSTOSA!

un dress disse...

como gosto

de ter-te

à beira

de ser-te...



.beijO