.
.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2007

o meu barco encalhou na maré cheia
andarei eu perdida em alto mar


não me apercebo qual o horizonte
incerto sentido
em tantas direcções



no céu a noite
na água a luz

tão profunda

tão longe

terrivelmente assustador




se mergulho pereço

à deriva sofuco


e nem uma estrela me aquece em sua luz




3 comentários:

maria josé quintela disse...

depois da tempestade sempre vem a bonança. e com ela, uma estrela para te aquecer.acredita.

as velas ardem ate ao fim disse...

Os barcos não se fizeram para ficar nos portos....partir, quebrar amarras1

bjo

Pérola disse...

Espero que o barco tenha voltado ao seu rumo.

Um beijinho.