.
.

quinta-feira, 27 de setembro de 2007



ando perdida, sem rumo.
ao sabor de um vento.
olho a lua, quase cheia,
e não te vejo.
nem vejo a outra face.
vou fazer-me estrela
e voar no espaço.
pequena entre muitas.
única entre tantas.
e se estás lá?
do outro lado da lua.
que faço?
reconheço-te.
igual.
estarás só?
[porque não gosto de o dizer, de o pensar?]
é morena, como eu?
loira, como tu?
se te encontro na outra face da lua,
serei tua.




5 comentários:

Tchivinguiro: onde nasci. disse...

Entre ti e o céu há um ABRAÇO a afagar-te.

TINTA PERMANENTE disse...

Ainda bem que encontro aqui uma estrela! Há muito que lhes queria perguntar para onde vão quando o sol chega pela matina?...
Abraço.

tufa tau disse...

é segredo... nem pelo abraço posso contar.
beijo

Aspásia disse...

HMMMMM...

ESTRELA, PEQUENA ENTRE MUITAS? SERÁ UMA ANÃ BRANCA?

ACHO QUE O QUE MELHOR TE ASSENTAVA ERA UMA "SUPERNOVA"! AÍ NÃO HAVERIA "MAN ON THE MOON" QUE RESISTISSE À TUA EXPLOSÃO!!! ;))

BEIJO ASTRONÓMICO...

maria josé quintela disse...

a face negra ou a da claridade?