.
.

quarta-feira, 2 de maio de 2007



ontem fui mulher,
amante,
mãe.
hoje voltei a ser menina...

ontem segura,
apaixonada por ti
que já partiste,
por mim,
por nós.

hoje sou menina de novo.
apaixonada...
na insegurança de um primeiro amor,
um novo amor...

e eu menina, danço
da forma mais singela.
o meu novo corpo de menina eleva-se no ar,
coreografa o nosso amor.

podia ter sido outro o amor
mas foi o teu com quem o meu corpo dançou...
devia ter sido outro o amor
mas foi o teu que menina me tornou...



8 comentários:

lena disse...

obrigada por pasares na minha cabana

dancei na tua poesia, voltei a ser menina, perdi-me nos sonhos dos teus versos


gostei de te ler, o que escreves tem melodia e toca nos sentimentos de quem te lê

um abraço de menina mulher

lena

pn disse...

a constante renovação (primaveril) a toque mágico do sentir

a exsudação do júbilo (conteúdo no gaudium feito continente)

(amanhã já é fim de semana...(imenso sorriso)).

vida de vidro disse...

Que bom é a existência dessa capacidade de voltarmos a ser meninas apaixonadas em cada novo amor! Gostei muito do teu poema. **

ASPÁSIA disse...

E QUE MELHOR PRENDA PARA UMA MENINA DO QUE UMA ROSA DE MAIO?

BEIJO PERFUMADO :)*

Madrigal disse...

Querida amiga

Toujours l'amour... a menina é como eu: Uma Tufa-pinga-amores. Pena é que, por vezes, não haja quem valore pessoas como tu capazes de sentir com intensidade tremenda toda essa força.
Virá o dia, não tarda, em que vindo das brumas escandecidas da terra-do-longe, um princípe te prestará vassalagem. É sempre assim.

Beijinhos,

Jorge

Pedro Branco disse...

Não pode ser... As mulheres também se apaixonam. As amantes também se apaixonam (Oh, se sim!). As mães também se apaixonam... Para quê não olhar em frente?

tufa tau disse...

oh, se sim... pedro! e eu nunca disse que não. oh, se não!
mas as meninas são (costumam ser) mais inseguras... (num primeiro amor.
... e eu só posso mesmo olhar em frente...

A.S. disse...

Em cada mulher apaixonada há sempre um desejo renascido, uma primavera onde se descobrem novas cores, uma caricia que nos surpreende!...


Um terno beijo!